Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Prefeito oferece reajuste do vale-alimentação em 2019 e desarma greve dos servidores
EBC

Segunda, 2/7/2018 15:28.

O prefeito Fabrício Oliveira apresentou proposta de aumentar o vale-alimentação dos atuais R$ 355,46  R$ 335,46 para R$ 400,00 a partir do ano que vem, e com isso desarmou a greve que o sindicato dos servidores de Balneário Camboriú tentaria promover a partir de hoje.

O reajuste oferecido é apenas para os 2.611 que já recebem o benefício e não para os 5.970 como desejava o sindicato.

Recebem o vale-alimentação os servidores com salário inferior a R$ 3.571,62.

Com isso, o impacto nas contas públicas será razoável, R$ 2,2 milhões no próximo ano, contra os R$ 13,5 milhões de aumento na despesa, caso fosse aceita a proposta do sindicato.

A secretária de administração da prefeitura, Karine Almeida Gomes, destacou que a ideia é promover reuniões com o sindicato ao longo do segundo semestre para que esse mantenha os servidores informados sobre as finanças do município.

A cidade gasta mais da metade do que arrecada com o funcionalismo, fruto da política de gestão de pessoal adotada nos oito anos do governo Edson Piriquito. Quando este assumiu o governo em 2009 a despesa com pessoal e encargos equivalia a 36% das receitas correntes e entregou a seu sucessor beirando os 53%.

O efeito mais nefasto dessa política, além de colocar o município próximo aos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LFR), é impedir que o funcionalismo tenha aumentos reais de salário.

Porque quanto mais empregados a prefeitura tiver –e Edson Piriquito contratou mais de mil-, menos todos ganharão, já que o gasto é limitado pela LRF.

O quadro abaixo mostra, ano a ano, o desequilíbrio nas contas públicas causado pelo governo passado:

Em R$ milhões:
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Prefeito oferece reajuste do vale-alimentação em 2019 e desarma greve dos servidores

EBC

O prefeito Fabrício Oliveira apresentou proposta de aumentar o vale-alimentação dos atuais R$ 355,46  R$ 335,46 para R$ 400,00 a partir do ano que vem, e com isso desarmou a greve que o sindicato dos servidores de Balneário Camboriú tentaria promover a partir de hoje.

O reajuste oferecido é apenas para os 2.611 que já recebem o benefício e não para os 5.970 como desejava o sindicato.

Recebem o vale-alimentação os servidores com salário inferior a R$ 3.571,62.

Com isso, o impacto nas contas públicas será razoável, R$ 2,2 milhões no próximo ano, contra os R$ 13,5 milhões de aumento na despesa, caso fosse aceita a proposta do sindicato.

A secretária de administração da prefeitura, Karine Almeida Gomes, destacou que a ideia é promover reuniões com o sindicato ao longo do segundo semestre para que esse mantenha os servidores informados sobre as finanças do município.

A cidade gasta mais da metade do que arrecada com o funcionalismo, fruto da política de gestão de pessoal adotada nos oito anos do governo Edson Piriquito. Quando este assumiu o governo em 2009 a despesa com pessoal e encargos equivalia a 36% das receitas correntes e entregou a seu sucessor beirando os 53%.

O efeito mais nefasto dessa política, além de colocar o município próximo aos limites da Lei de Responsabilidade Fiscal (LFR), é impedir que o funcionalismo tenha aumentos reais de salário.

Porque quanto mais empregados a prefeitura tiver –e Edson Piriquito contratou mais de mil-, menos todos ganharão, já que o gasto é limitado pela LRF.

O quadro abaixo mostra, ano a ano, o desequilíbrio nas contas públicas causado pelo governo passado:

Em R$ milhões:
 

Publicidade

Publicidade