Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Moradores do Vila Fortaleza pedem mais prazo para retirar casas
Victor Loja/PMBC

Sexta, 2/3/2018 10:09.

Nesta quinta-feira (1), uma força-tarefa da Prefeitura de Balneário Camboriú para a demolição de casas construídas de forma irregular no loteamento Villa Fortaleza não chegou a ser concluída porque moradores pediram mais 24 horas de prazo.

No dia 15 de fevereiro a operação foi iniciada com a retirada de famílias em sete casas em uma área considerada de alto risco por um laudo feito por um geólogo da Defesa Civil.

As famílias foram retiradas (exceto uma) e foi concedido aos moradores a possibilidade de desmancharem as casas por conta própria, para aproveitamento do material. Por isso, mais 15 dias foram dados.

Ontem Defesa Civil, Secretaria de Segurança e Obras voltaram ao local e ouviram um novo pedido de prazo, dessa vez de 24 horas.

“A operação foi boa, tranquila, tivemos que pausar diante da situação toda, porque os moradores solicitaram mais 24 horas para eles mesmos tirarem e agora vamos aguardar para poder finalizar 100% essa operação”, completou o diretor da Defesa Civil, Fabrício Melo.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Geral

20 são em uma lojas de fast food Burguer King  


Justiça

Acusado diz que falará primeiro com seu advogado antes de se manifestar. Ele foi penalizado com advertência.


Cidade

Esta é uma das últimas etapas para obtenção da Bandeira Azul


Cidade

Lei municipal que favorecia os consumidores foi derrubada pelo Supremo 


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Moradores do Vila Fortaleza pedem mais prazo para retirar casas

Victor Loja/PMBC

Nesta quinta-feira (1), uma força-tarefa da Prefeitura de Balneário Camboriú para a demolição de casas construídas de forma irregular no loteamento Villa Fortaleza não chegou a ser concluída porque moradores pediram mais 24 horas de prazo.

No dia 15 de fevereiro a operação foi iniciada com a retirada de famílias em sete casas em uma área considerada de alto risco por um laudo feito por um geólogo da Defesa Civil.

As famílias foram retiradas (exceto uma) e foi concedido aos moradores a possibilidade de desmancharem as casas por conta própria, para aproveitamento do material. Por isso, mais 15 dias foram dados.

Ontem Defesa Civil, Secretaria de Segurança e Obras voltaram ao local e ouviram um novo pedido de prazo, dessa vez de 24 horas.

“A operação foi boa, tranquila, tivemos que pausar diante da situação toda, porque os moradores solicitaram mais 24 horas para eles mesmos tirarem e agora vamos aguardar para poder finalizar 100% essa operação”, completou o diretor da Defesa Civil, Fabrício Melo.

Publicidade

Publicidade