Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Inconformada com nova loja da Havan direção da CDL procura o MP

Segunda, 5/3/2018 7:01.

A direção da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) está inconformada em ter sido voto vencido na sessão do Conselho da Cidade que aprovou uma nova loja Havan em Balneário Camboriú e deverá recorrer ao Ministério Público.

Na sexta-feira passada representantes da CDL foram ao fórum, mas o promotor estava em compromisso externo.

A direção da CDL defende que a Havan só possa ser construída em conjunto com a Praça do Cidadão, projeto que no passado foi reprovado pelo Conselho da Cidade.

A reportagem não conseguiu apurar a base legal para esse ou outros argumentos da CDL no caso já que as deliberações do Conselho da Cidade foram tomadas por voto direto, em sessão aberta e registrada em filme.  

A Praça do Cidadão foi uma esperteza que donos de terrenos encontraram para ter maior lucro com eles e conseguir licença para um tipo de ocupação que era proibida no local.

Para construir a Praça do Cidadão seria necessário usar dois terrenos sobre os quais o judiciário, em novembro de 2015 emitiu a seguinte decisão: “cessem imediatamente qualquer espécie de dano ambiental ao imóvel ficando proibida a edificação ou qualquer forma de utilização independente de autorização administrativa prévia...”.

Em janeiro desse ano o processo foi extinto, após acordo com o Ministério Público envolvendo multa e recuperação de danos ambientais.

Com o abandono da ideia da Praça da Cidadão a prefeitura liberou os terrenos que até então só podiam ser utilizados em parcerias público-privadas e com isso o dono de uma das áreas ficou livre para negociar com quem lhe interessasse e escolheu a Havan.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Geral

20 são em uma lojas de fast food Burguer King  


Justiça

Acusado diz que falará primeiro com seu advogado antes de se manifestar. Ele foi penalizado com advertência.


Cidade

Esta é uma das últimas etapas para obtenção da Bandeira Azul


Cidade

Lei municipal que favorecia os consumidores foi derrubada pelo Supremo 


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Inconformada com nova loja da Havan direção da CDL procura o MP

A direção da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) está inconformada em ter sido voto vencido na sessão do Conselho da Cidade que aprovou uma nova loja Havan em Balneário Camboriú e deverá recorrer ao Ministério Público.

Na sexta-feira passada representantes da CDL foram ao fórum, mas o promotor estava em compromisso externo.

A direção da CDL defende que a Havan só possa ser construída em conjunto com a Praça do Cidadão, projeto que no passado foi reprovado pelo Conselho da Cidade.

A reportagem não conseguiu apurar a base legal para esse ou outros argumentos da CDL no caso já que as deliberações do Conselho da Cidade foram tomadas por voto direto, em sessão aberta e registrada em filme.  

A Praça do Cidadão foi uma esperteza que donos de terrenos encontraram para ter maior lucro com eles e conseguir licença para um tipo de ocupação que era proibida no local.

Para construir a Praça do Cidadão seria necessário usar dois terrenos sobre os quais o judiciário, em novembro de 2015 emitiu a seguinte decisão: “cessem imediatamente qualquer espécie de dano ambiental ao imóvel ficando proibida a edificação ou qualquer forma de utilização independente de autorização administrativa prévia...”.

Em janeiro desse ano o processo foi extinto, após acordo com o Ministério Público envolvendo multa e recuperação de danos ambientais.

Com o abandono da ideia da Praça da Cidadão a prefeitura liberou os terrenos que até então só podiam ser utilizados em parcerias público-privadas e com isso o dono de uma das áreas ficou livre para negociar com quem lhe interessasse e escolheu a Havan.

Publicidade

Publicidade