Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

A história da bailarina do Calçadão de Balneário Camboriú em rede nacional

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Celso Peixoto.
Nina Buah no Calçadão da Avenida Central.

Quarta, 27/12/2017 8:59.

Nina Buah, a bailarina mais famosa de Balneário Camboriú, foi escolhida entre milhares de candidatos para contar sua vida no programa ‘Lazinho com Você’, a novidade dos domingos que estreou este mês na telinha da Globo, comandada pelo ator Lázaro Ramos que agora virou apresentador.

“Nas redes sociais ele convidou as pessoas para mandar sua história de vida, eu sou fã dele, mandei e entre milhares delas, fui contemplada”, contou Nina.

“No programa revelarei a minha verdadeira identidade, os conflitos que tinha com minha família que causavam muita dor e desabafei as dores que um artista de rua vive, preconceitos e tals. Antecipo que está emocionante!”, adiantou a artista para a reportagem do Página3.

Por aqui o artista que tem 35 anos identifica-se apenas como JP. É natural de Serrania, interior de Minas Gerais, mora em Balneário há mais de duas décadas e há 13 anos virou artista de rua, quando criou o personagem Nina Buah, que está sempre no Calçadão da Central, fotografando com turistas e moradores. JP faz parte do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos e Diversão de Santa Catarina, é solteiro e não tem filhos ainda, mas adiantou que pretende adotar, porque gosta muito de crianças.

Acompanhe a entrevista:

JP - Quando você soube que seria notícia no programa?

Nina Buah - Em agosto recebi a primeira ligação, mas tive certeza mesmo no comecinho de outubro. As gravações foram feitas em São Paulo, Poços de Caldas e Serrania. Quase tive um treco, fiquei muito nervoso e ainda estou megaemocionado, a ficha só está caindo agora.

JP3 - O Lázaro veio gravar em Balneário?

Não, ele não veio, mas mandei umas 300 fotos do Calçadão onde trabalho.  

JP3 - A carreira como artista de rua começou na praia, quando?

Comecei a trabalhar na rua no dia 7 de setembro de 2004, com 22 anos, mas desde pequenininho já sabia que tinha nascido artista, caí na rua de paraquedas. Coloquei uma caixinha de papelão encapada com papel de presente no chão e arrisquei. Estou até hoje, já se passaram 13 anos. Sempre sonhei em viver da minha arte, na rua encontrei as criancinhas e os grandinhos que gostam de mim, por isso que me dedico o máximo que posso a eles, tirar um sorriso de alguém me faz feliz!

JP3 - No que trabalhava antes?

Trabalhei em um restaurante e ali fiquei quase oito anos.

JP3 - O que motivou a escolha desse personagem, a bailarina?

A personagem é sim uma bailarina viva, nesses 13 anos de Calçadão eu fiz um figurino por ano, cores e modelos diferentes, mesmo com roupinhas diferente ela continua sendo a mesma personagem. A bailarina Nina do CALÇADÃO é uma personagem que se veste como uma camaleoa, isso pela preocupação de encher os olhinhos de quem passa pela calçada, tem pessoas que vêm no Calçadão só pra ver com qual figurino estou, isso pra mim é reconhecimento, fico feliz!

JP3 - Você gostaria de ser uma bailarina de verdade?

Desde pititinho sonhei em ser bailarino, lembro como se fosse hoje, me trancava no quarto, vestia a camisola da minha mãe e saía dançando, amava, eram outros tempos e infelizmente não deu pra ser um bailarino.

JP3 - As crianças ficam encantadas com o personagem, você pensou nelas quando criou a bailarina?

As crianças tem muito carinho por mim, sempre digo que quando recebo o abraço de uma criancinha, sinto o abraço de Jesus, um amor puro e verdadeiro, elas não estão preocupadas se sou isso ou aquilo, elas me amam pelo coraçãozinho delas. Com referência no circo criei minha personagem pensando nas criancinhas, uma bailarina parecida com uma palhacinha, caí no gosto delas e sinto que acertei, afinal elas me amam de verdade, sou enormemente grato a elas por tudo que tem acontecido na minha vida, presente de Deus!

JP 3 - Você consegue sobreviver da arte de rua?

Sou valorizado sim, o segredinho é a maneira que você usa as suas moedinhas, o seu dinheirinho. Um dia muito lá atrás uma senhorinha me disse, use todo seu dinheirinho com saúde, assim escolhi viver, meu dinheirinho é abençoado, honesto e rende muito. Vivo sim com muita dignidade, só não ficarei rica né...rsrsrss…

JP3 - Qual foi sua maior alegria com a personagem? E a maior tristeza?

Minha alegria é fazer o que amo e tirar um sorriso de alguém. Minha tristeza é o preconceito que ainda persiste, é abominável esse sentimento!


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Saúde

Objetivo é investir em prevenção e desafogar o Posto Central


Empregos

Salários chegam a R$ 22 mil


Geral

Elcio Rogério Kuhnen prestou contas da sua administração


Cidade

Jornal Página 3 prepara material especial para a data


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade