Jornal Página 3

'Razão para Recomeçar' parece comercial triste de margarina
Divulgação.

Quinta, 19/10/2017 12:20.

MARINA GALEANO
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um comercial de margarina interrompido por um drama familiar. A grosso modo, esse é o resumo da vida de Ben Morton (Jonathan Patrick Moore) e Ava Kennedy (Erin Bethea) em "Uma Razão para Recomeçar".

Amigos desde a infância, os dois se descobrem alma-gêmeas ainda na adolescência e, apesar das turbulências no período do namoro à distância, trocam juras de amor eterno na fase adulta.

Eis a primeira derrapada do longa-metragem dirigido por Drew Waters. A introdução da trama acontece numa velocidade tão acelerada, que não dá tempo de se envolver de fato com o romance perfeitinho experimentado por Ben e Ava.

A falta de química entre os atores principais também não ajuda. Não há espontaneidade nos diálogos ou nos gestos -sempre mecânicos e contidos. Ninguém parece muito à vontade em seu respectivo papel.

Os personagens coadjuvantes tampouco acrescentam. Na pele de Charles, o veterano Bill Cobbs surge do além para virar o conselheiro do mocinho da história com um festival de frases prontas. A presença de Monique Marceau (interpretada por Kelsey Formost), amiga de Ava, só é notada por causa de um grotesco sotaque francês.

Diante dos tropeços, fica difícil abraçar a proposta despretensiosa do filme: trazer um relato sincero e convincente sobre o cotidiano de um casal apaixonado que enfrenta os mesmos perrengues que qualquer outro. Desgaste devido ao excesso de trabalho, dificuldade para engravidar, uma grave doença etc.

Falando em doença, não é preciso grandes esforços para adivinhar aonde o roteiro vai desembocar. A harmonia conjugal inabalável de Ben e Ava denuncia que algo bastante sério está prestes a ocorrer. É tudo muito óbvio.

Como o filme inteiro, aliás. Sem um enredo maior, a narrativa se apoia em clichês do início ao fim. Alguns funcionam, alguns não servem de nada -exceto para reforçar a mensagem (clichê) de superação embutida na trama. A fotografia segue linha semelhante e não sai do arroz com feijão.

Amarrado à superfície, o romance assinado por Waters é mais água do que açúcar -inodoro, insípido e incolor. Apenas uma história de amor bonitinha como tantas outras, porém conduzida por personagens inexpressivos e pouco cativantes.

Embora recheado de boas intenções, a verdade é que "Uma Razão para Recomeçar" não consegue dar ao espectador uma razão forte o suficiente para valer a ida ao cinema.

UMA RAZÃO PARA RECOMEÇAR (ruim)
(New Life)
DIREÇÃO Drew Waters
ELENCO Jonathan Patrick Moore, Erin Bethea e Terry OQuinn
PRODUÇÃO EUA, 2016, 10 anos
QUANDO estreia nesta quinta (19)
AVALIAÇÃO ruim 


Publicidade


Cidade

Programa não está claro e há hesitações políticas  


Política

“Reunião extraordinária não é para discutir cemitério e roda gigante”, disse vereador


Cidade

Desde 2012 governadores de plantão estão prometendo a obra


Policia

Combater pertubação do sossego é a segunda principal ocorrência para a PM    


Equilíbrio

Secretária vai palestrar no dia 23


Geral

Ele foi levado pela correnteza na semana passada


Policia

Bandidos invadiram loja de roupas na Terceira Avenida 


Variedades

Na telona grandes artistas da música brasileira


Opinião

Artigo de opinião


Cultura

Dica de passeio cultural de verão


Cidade

O serviço não tem ônus adicional, é programado e deve ser agendado por telefone