Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Município compra vagas, mas fila nas creches volta a crescer

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa

Sexta, 2/3/2018 15:33.

A Secretaria da Educação de Balneário Camboriú vai comprar mais 125 vagas de creches na rede particular. Essas vagas não chegaram a ser preenchidas no primeiro edital lançado em meados do ano passado.

Apesar dos esforços, a Fila Única tende a ser sempre um problema difícil de resolver para o município. Isso porque mesmo oferecendo mais vagas, os pedidos não param.

Conforme a Educação, no começo de 2017 havia cerca de 1.700 crianças na Fila Única. Esse número chegou a 313 no final do ano (quando a secretaria realizou um recadastramento), mas com a sazonalidade e muitas novas famílias em busca de emprego na cidade, a fila voltou a inchar e agora tem cerca de 700 crianças.

"Na hora do recadastro a gente vê que muitas famílias vão embora, mas isso não nos causa tanto otimismo porque a gente sabe que o recadastro é feito em outobro ou novembro e em dezembro ou janeiro já vem uma leva bastante grande de pessoas para a temporada e acabam colocando os filhos na Fila Única então é um movimento que a gente espera sim", comentou a secretária de Educação, Rosângela Percegona.

Novas vagas

O chamamento público será de vagas para crianças entre zero a três anos, onze meses e vinte e nove dias - a faixa etária que possui demanda reprimida na rede. A vaga é comprada por R$ 1.250,00/mês, um cálculo baseado no que custaria atender a criança na rede municipal.

No primeiro edital nem todas as vagas foram preenchidas porque algumas unidades privadas não estavam aptas (há uma série de requisitos como alvarás e contas em dia) e também havia certa incerteza da iniciativa privada quanto ao contrato com o município.

No entanto, segundo a secretária de Educação, a novidade implantada pela atual gestão tem se mostrado positiva para todas as partes: famílias que podem trabalhar, município que reduz uma demanda crítica e instituições de ensino que recebem um reforço financeiro.

Nem todos querem

Desde que o programa foi lançado, nem todos os pais convocados aceitaram matricular seus filhos em creches particulares, mesmo sem custo algum para isso. A secretária conta que houve casos em que a unidade era longe de casa e por isso eles preferiram ficar na fila até surgir uma vaga mais perto.

Ela explica que depois de matriculados na rede privada, os alunos podem ser transferidos para a pública, mas o inverso não é possível. As novas vagas são disponíveis apenas para pessoas que seguem na Fila Única.

Pente-fino

Segundo a secretária, desde o começo do ano passado o município já conseguiu reduzir bastante a fila com a compra de vagas e a abertura de novas salas e de um núcleo de educação infantil no Bairro dos Municípios.

Além da abertura de vagas o município realizou um recadastramento geral e identificou casos de alunos de outras cidades matriculados aqui, inclusive com comprovantes de residência adulterados. Medidas serão tomadas e o Ministério Público foi informado sobre os casos em que isso possível comprovado. “Nossa prioridade é o munícipe de Balneário” pontuou a secretária.

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade