Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arthur Virgilio desiste, e Alckmin deve ser candidato do PSDB à Presidência
Photo Premium/Folhapress.

Sábado, 24/2/2018 7:46.

THAIS BILENKY
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, informou a reportagem que não vai concorrer com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, nas prévias para a escolha do candidato do PSDB à Presidência.

Com a decisão, ele encurta o caminho do paulista para a disputa. O partido se preparava para as prévias em março. Alckmin deverá se desincompatibilizar do Palácio dos Bandeirantes em no máximo 7 de abril para começar a campanha pelo país.

"Participar de uma fraude, eu não vou, não. Vou dar uma explicação bem clara ao país dos porquês. Por mais que eu soubesse que eu poderia [disputar], seria uma coisa menor. Não estou aqui para criar constrangimentos para o Geraldo", disse.

Virgílio fez duras críticas ao agora virtual candidato tucano. "Conheci um dos homens públicos menos sinceros e mais capazes para a desfaçatez e fingimento em 40 anos de vida pública."

Nos últimos meses, o prefeito de Manaus vinha reclamando da forma como o PSDB e Alckmin, em particular, conduziram o processo, primeiro, de sucessão de Aécio Neves na presidência do partido e, depois, da definição da candidatura presidencial.

Para Virgílio, decisões de cúpula, sem ouvir a militância, deterioraram a vida partidária e minaram a credibilidade do PSDB."Eles [cúpula tucana] pensam ainda que são melhores, como se fossem de certa elite política brasileira, algo que colocaram na cabeça e não querer tirar", criticou.

"Mas tenho clara noção de como se sente o eleitor brasileiro e como ele vê os partidos e o meu partido, em particular. Além dos defeitos tradicionais que os demais partidos acumulam, o PSDB traiu a esperança dos 51 milhões que votaram em Aécio [em 2014]."

"É preciso abrir a discussão sobre desigualdades regionais, sobre o partido, hoje condenado e execrado pela população brasileira. Eles não entendem isso, assim como não entendem de Amazônia, uma região de importância simbólica para o mundo inteiro", atacou.

Além de criticar Alckmin por acumular a presidência do PSDB com a pré-candidatura, o prefeito manaura defendia a realização de uma série de debates em vários Estados do país que precedesse a realização de prévias.

Nesta sexta-feira (23), porém, o PSDB anunciou que as prévias seriam realizadas no dia 18 de março com um debate entre os pré-candidatos no dia 14 realizado na sede do partido, em Brasília, transmitido pela internet. O prazo para inscrição dos pré-candidatos vai até o dia 5 de março.

Não há nenhum tucano com envergadura que tenha se colocado até agora.

"É muita pretensão você achar que exaure a discussão de um projeto para o Brasil com um debate. Geraldo assumiu todo o seu lado de mediocridade, o lado de uma pessoa limitada, que até as piadas que conta são meio jeca", afirmou Virgílio. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Geral

20 são em uma rede de fast food Burguer King  


Justiça

Acusado diz que falará primeiro com seu advogado antes de se manifestar. Ele foi penalizado com advertência.


Cidade

Esta é uma das últimas etapas para obtenção da Bandeira Azul


Cidade

Lei municipal que favorecia os consumidores foi derrubada pelo Supremo 


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Arthur Virgilio desiste, e Alckmin deve ser candidato do PSDB à Presidência

Photo Premium/Folhapress.

THAIS BILENKY
SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, informou a reportagem que não vai concorrer com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, nas prévias para a escolha do candidato do PSDB à Presidência.

Com a decisão, ele encurta o caminho do paulista para a disputa. O partido se preparava para as prévias em março. Alckmin deverá se desincompatibilizar do Palácio dos Bandeirantes em no máximo 7 de abril para começar a campanha pelo país.

"Participar de uma fraude, eu não vou, não. Vou dar uma explicação bem clara ao país dos porquês. Por mais que eu soubesse que eu poderia [disputar], seria uma coisa menor. Não estou aqui para criar constrangimentos para o Geraldo", disse.

Virgílio fez duras críticas ao agora virtual candidato tucano. "Conheci um dos homens públicos menos sinceros e mais capazes para a desfaçatez e fingimento em 40 anos de vida pública."

Nos últimos meses, o prefeito de Manaus vinha reclamando da forma como o PSDB e Alckmin, em particular, conduziram o processo, primeiro, de sucessão de Aécio Neves na presidência do partido e, depois, da definição da candidatura presidencial.

Para Virgílio, decisões de cúpula, sem ouvir a militância, deterioraram a vida partidária e minaram a credibilidade do PSDB."Eles [cúpula tucana] pensam ainda que são melhores, como se fossem de certa elite política brasileira, algo que colocaram na cabeça e não querer tirar", criticou.

"Mas tenho clara noção de como se sente o eleitor brasileiro e como ele vê os partidos e o meu partido, em particular. Além dos defeitos tradicionais que os demais partidos acumulam, o PSDB traiu a esperança dos 51 milhões que votaram em Aécio [em 2014]."

"É preciso abrir a discussão sobre desigualdades regionais, sobre o partido, hoje condenado e execrado pela população brasileira. Eles não entendem isso, assim como não entendem de Amazônia, uma região de importância simbólica para o mundo inteiro", atacou.

Além de criticar Alckmin por acumular a presidência do PSDB com a pré-candidatura, o prefeito manaura defendia a realização de uma série de debates em vários Estados do país que precedesse a realização de prévias.

Nesta sexta-feira (23), porém, o PSDB anunciou que as prévias seriam realizadas no dia 18 de março com um debate entre os pré-candidatos no dia 14 realizado na sede do partido, em Brasília, transmitido pela internet. O prazo para inscrição dos pré-candidatos vai até o dia 5 de março.

Não há nenhum tucano com envergadura que tenha se colocado até agora.

"É muita pretensão você achar que exaure a discussão de um projeto para o Brasil com um debate. Geraldo assumiu todo o seu lado de mediocridade, o lado de uma pessoa limitada, que até as piadas que conta são meio jeca", afirmou Virgílio. 

Publicidade

Publicidade