Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Cruzeiro vence, tira vantagem do Atlético-MG e é campeão mineiro

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Domingo, 8/4/2018 18:51.

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - Arrascaeta e Thiago Neves são ídolos da torcida do Cruzeiro e com muito merecimento. Na final do Campeonato Mineiro, neste domingo, mais uma vez a dupla infernizou com o Atlético-MG. Com um gol de cada, o time de Mano Menezes venceu o arquirrival por 2 a 0 e ficou com o título do Campeonato Mineiro em 2018.

Esse era o resultado que o Cruzeiro precisava, pois havia perdido por 3 a 1 na partida ida, no estádio Independência. Por ter feito melhor campanha na primeira fase, a equipe tinha a vantagem do empate no saldo de gols do confronto, em caso de um triunfo para cada lado.

Arrascaeta foi o destaque da vitória cruzeirense. O camisa 10 celeste, que já marcou seis vezes diante do arquirrival, foi decisivo para o título.

Além de ter sido o autor do primeiro gol, foi o responsável pela jogada do segundo.

Do outro lado, a decepção foi Otero. O venezuelano havia sido um dos grandes nomes do Atlético-MG no primeiro jogo da final ao dar assistências para todos os três gols atleticanos no triunfo por 3 a 1 sobre o Cruzeiro.

Na volta, no Mineirão, o venezuelano caiu facilmente nas provocações de Edílson e ficou em campo por apenas 21 minutos. Otero deu uma cotovelada no lateral cruzeirense e foi corretamente expulso pelo árbitro Luiz Flávio de Oliveira.

Em busca de dois gols para tirar a vantagem do Atlético, o Cruzeiro começou a partida pressionando o rival e logo marcou o primeiro gol.

Arrascaeta tentou duas vezes para fazer 1 a 0. Na primeira, o goleiro Victor fez uma grande defesa, e, na segunda, o uruguaio foi mais rápido e antecipou a defesa alvinegra para cabecear a bola.

A etapa inicial do final do Campeonato Mineiro não foi nada fácil para Luiz Flávio de Oliveira. O árbitro teve de conter bastante os jogadores dos dois lados, que reclamavam a cada marcação. O resultado foi uma partida muito mais pegada do que com lances de perigo. No fim do primeiro tempo, cinco cartões apresentados. Três amarelos para o lado azul e um amarelo e um vermelho para o lado preto e branco.

Assim como na etapa inicial, quando pressionou e fez um 1 a 0, o Cruzeiro mais uma vez abafou o Atlético-MG no campo de defesa. De novo o resultado foi um gol rápido. Fábio Santos perdeu a bola para a Arrascaeta e o uruguaio cruzou na medida para Thiago Neves marcar o gol do título.

Com o Atlético em cima e muito espaço para contra-atacar, o Cruzeiro optou por uma postura segura. Nada de buscar o terceiro gol a qualquer momento. O importante era segurar o resultado, o suficiente para ficar com o título. Com a equipe muito bem posicionada na defesa, o Cruzeiro não sofreu pressão nos minutos finais e nem levou sustos.

Sem força para atacar e nem mesmo segurar a bola, o Atlético se viu envolvido pelo Cruzeiro. Na vontade de recuperar a bola e tentar uma última jogada, Patric fez falta dura em Ariel Cabral, deixando o time dois jogadores a menos já nos minutos finais. O vermelho marcou o início da festa cruzeirense, mesmo com o jogo em andamento.

CRUZEIRO
Fábio; Edílson (Mancuello), Dedé, Léo, Egídio; Henrique, Ariel Cabral, Robinho (Rafinha), Thiago Neves; Arrascaeta (Ezequiel), Rafael Sóbis. T.: Mano Menezes

ATLÉTICO-MG
Victor; Patric, Leonardo Silva, Gabriel, Fábio Santos; Adilson, Elias (Róger Guedes), Luan (Gustavo Blanco), Cazares, Otero; Ricardo Oliveira (Erik). T.: Thiago Larghi (interino).

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Juiz: Luiz Flávio de Oliveira (SP)
Cartões amarelos: Edilson, Thiago Neves, Léo, Robinho, Egídio e Ariel Cabral (Cruzeiro) Ricardo Oliveira, Patric e Erik (Atlético-MG)
Cartões vermelhos: Otero e Patric (Atlético-MG)
Gols: Arrascaeta, aos 3min do primeiro tempo, e Thiago Neves, aos 7min do segundo tempo. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade