Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Com portões fechados, Flamengo leva empate no fim do River Plate

Quinta, 1/3/2018 6:47.

(UOL/FOLHAPRESS) - O Flamengo queria largar na frente na Taça Libertadores da América, mas não foi possível. Além da tensão da estreia, o Rubro-negro esbarrou no River Plate-ARG e só empatou por 2 a 2, nesta quarta-feira (28), no Engenhão. A partida foi disputada com portões fechados por causa da punição aplicada ao clube carioca pela Conmebol em consequência do tumulto causado pela torcida rubro-negra na final da Copa Sul-Americana de 2017.

Não contar com a torcida foi mais uma dificuldade que o Flamengo não superou e somou apenas um ponto no Grupo 4 da competição continental. O time rubro-negro volta a campo em 14 de março, quando encara o Emelec (EQU), fora de casa. Já os argentinos recebem os colombianos do Independiente Santa Fe, dia 5 de abril, em Buenos Aires.

Em um primeiro tempo absolutamente amarrado e no qual as equipes tiveram dificuldades de criar, a melhor chance poderia ter sido do Flamengo. Aos 39min, o árbitro peruano Michael Espinoza ignorou pênalti cometido por Zuculini. Réver cabeceou a bola e o jogador do River Plate subiu com o braço levantado, interceptando a trajetória da bola dentro da área. Os rubro-negros pediram pênalti de forma desesperada, mas nada foi marcado.

Na etapa final, o Flamengo saiu na frente aos 8min. Ponzio derrubou Diego na área. O atacante Henrique Dourado cobrou com a conhecida categoria e fez o gol do Flamengo. Na comemoração, a tradicional "ceifada" ao lado do aniversariante e capitão Diego.

Não deu nem tempo de o Flamengo comemorar. Logo na sequência, o River Plate empatou com um gol em impedidimento. A falta foi cobrada para a área, e Mora saltou sozinho para colocar no fundo da rede de cabeça. Só que o atacante estava adiantado e em posição irregular. Nada foi marcado pela arbitragem.

Levemente superior no jogo, o Flamengo se colocou na frente do placar aos 21min. Lucas Paquetá descolou um passe que desmontou a defesa argentina. Everton recebeu e teve todo o tempo para virar o corpo e chutar de direita para o fundo do gol, sem chances para Maidana.

Os argentinos tiveram a chance do empate aos 38min. Em bola levantada na área, Scocco cabeceou e a bola explodiu no braço de Réver dentro da área. A diferença é que o braço estava colado ao corpo, mas os jogadores do River Plate reclamaram bastante. No rebote, bola por cima do gol de Diego Alves.

Quando a vitória parecia certa, o River chegou ao empate aos 41min com Mayada. O chute foi de longe, e Diego Alves pulou atrasado no canto direito. Comemoração argentina e frustração brasileira no Engenhão.

FLAMENGO
Diego Alves; Pará (Rodinei), Réver, Juan, Renê; Jonas (Romulo), Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro, Everton (Willian Arão); Henrique Dourado. T.: Paulo César Carpegiani

RIVER PLATE
Armani; Montiel, Maidana, Martínez, Saracchi; Pérez (Scocco), Ponzio, Zuculini (Mayada), De La Cruz (Quintero); Mora, Pratto. T.: Marcelo Gallardo

Estádio: Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro
Juiz: Michael Espinoza (PER)
Cartões amarelos: Diego, Henrique Dourado, Everton e Réver (Flamengo); Maidana, Martínez e Zuculini (River Plate)
Gols: Henrique Dourado, aos 8min, e Everton, aos 21min do segundo tempo (Flamengo); Mora, aos 10min, e Mayada, aos 41min do segundo tempo (River Plate). 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Geral

20 são em uma lojas de fast food Burguer King  


Justiça

Acusado diz que falará primeiro com seu advogado antes de se manifestar. Ele foi penalizado com advertência.


Cidade

Esta é uma das últimas etapas para obtenção da Bandeira Azul


Cidade

Lei municipal que favorecia os consumidores foi derrubada pelo Supremo 


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Com portões fechados, Flamengo leva empate no fim do River Plate

(UOL/FOLHAPRESS) - O Flamengo queria largar na frente na Taça Libertadores da América, mas não foi possível. Além da tensão da estreia, o Rubro-negro esbarrou no River Plate-ARG e só empatou por 2 a 2, nesta quarta-feira (28), no Engenhão. A partida foi disputada com portões fechados por causa da punição aplicada ao clube carioca pela Conmebol em consequência do tumulto causado pela torcida rubro-negra na final da Copa Sul-Americana de 2017.

Não contar com a torcida foi mais uma dificuldade que o Flamengo não superou e somou apenas um ponto no Grupo 4 da competição continental. O time rubro-negro volta a campo em 14 de março, quando encara o Emelec (EQU), fora de casa. Já os argentinos recebem os colombianos do Independiente Santa Fe, dia 5 de abril, em Buenos Aires.

Em um primeiro tempo absolutamente amarrado e no qual as equipes tiveram dificuldades de criar, a melhor chance poderia ter sido do Flamengo. Aos 39min, o árbitro peruano Michael Espinoza ignorou pênalti cometido por Zuculini. Réver cabeceou a bola e o jogador do River Plate subiu com o braço levantado, interceptando a trajetória da bola dentro da área. Os rubro-negros pediram pênalti de forma desesperada, mas nada foi marcado.

Na etapa final, o Flamengo saiu na frente aos 8min. Ponzio derrubou Diego na área. O atacante Henrique Dourado cobrou com a conhecida categoria e fez o gol do Flamengo. Na comemoração, a tradicional "ceifada" ao lado do aniversariante e capitão Diego.

Não deu nem tempo de o Flamengo comemorar. Logo na sequência, o River Plate empatou com um gol em impedidimento. A falta foi cobrada para a área, e Mora saltou sozinho para colocar no fundo da rede de cabeça. Só que o atacante estava adiantado e em posição irregular. Nada foi marcado pela arbitragem.

Levemente superior no jogo, o Flamengo se colocou na frente do placar aos 21min. Lucas Paquetá descolou um passe que desmontou a defesa argentina. Everton recebeu e teve todo o tempo para virar o corpo e chutar de direita para o fundo do gol, sem chances para Maidana.

Os argentinos tiveram a chance do empate aos 38min. Em bola levantada na área, Scocco cabeceou e a bola explodiu no braço de Réver dentro da área. A diferença é que o braço estava colado ao corpo, mas os jogadores do River Plate reclamaram bastante. No rebote, bola por cima do gol de Diego Alves.

Quando a vitória parecia certa, o River chegou ao empate aos 41min com Mayada. O chute foi de longe, e Diego Alves pulou atrasado no canto direito. Comemoração argentina e frustração brasileira no Engenhão.

FLAMENGO
Diego Alves; Pará (Rodinei), Réver, Juan, Renê; Jonas (Romulo), Lucas Paquetá, Diego, Everton Ribeiro, Everton (Willian Arão); Henrique Dourado. T.: Paulo César Carpegiani

RIVER PLATE
Armani; Montiel, Maidana, Martínez, Saracchi; Pérez (Scocco), Ponzio, Zuculini (Mayada), De La Cruz (Quintero); Mora, Pratto. T.: Marcelo Gallardo

Estádio: Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro
Juiz: Michael Espinoza (PER)
Cartões amarelos: Diego, Henrique Dourado, Everton e Réver (Flamengo); Maidana, Martínez e Zuculini (River Plate)
Gols: Henrique Dourado, aos 8min, e Everton, aos 21min do segundo tempo (Flamengo); Mora, aos 10min, e Mayada, aos 41min do segundo tempo (River Plate). 

Publicidade

Publicidade