Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Após derrota em clássico, reunião deve definir saída de Dorival do São Paulo

Sexta, 9/3/2018 7:46.

DANILO LAVIERI E JOSÉ EDUARDO MARTINS
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Dorival Júnior deve ter um dia decisivo no São Paulo. Após a derrota para o Palmeiras por 2 a 0, na quinta-feira (8), o treinador corre o risco de perder o emprego. Assim como acontece depois de todas as partidas, uma reunião está prevista entre os integrantes do departamento de futebol e a cúpula do clube. Segundo apurou o UOL Esporte, mesmo com a classificação da equipe para as quartas de final do Campeonato Paulista, os dirigentes não estão satisfeitos com o desempenho do time e o técnico nunca esteve tão ameaçado.

Boa parte dos diretores que trabalham no Morumbi já não acredita no trabalho de Dorival, que seguia com o voto de confiança de quem está no dia a dia no CT da Barra Funda, como Raí, Ricardo Rocha e Lugano. A pressão sobre os integrantes do departamento de futebol, porém, aumentou consideravelmente para que seja feita uma mudança nos rumos.

Outro ponto que pode pesar na decisão é quem poderia assumir a equipe, mesmo que interinamente. O auxiliar Lucas Silvestre, filho de Dorival, não vai continuar no cargo caso o pai seja demitido. André Jardine, treinador da base e bem cotado no Morumbi, está em férias e ainda não tem data confirmada para o seu retorno.

Por outro lado, o clima depois de mais um revés estava pesado no Allianz Parque. Poucos jogadores quiseram conceder entrevistas -apenas Tréllez, Hudson, Rodrigo Caio e Valdívia conversaram com a imprensa. O ambiente deve contar também na avaliação dos dirigentes. Vale destacar, no entanto, que há ainda integrantes do elenco que estão ao lado do treinador e chegaram até a conversar com a diretoria para assumir a responsabilidade pelo rendimento abaixo do esperado da equipe.

Após 11 partidas no Campeonato Paulista, o São Paulo soma 14 pontos, com quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas -com 42,4% de aproveitamento dos pontos. No domingo, no Morumbi, o time enfrenta o Red Bull e precisa de uma vitória para garantir a primeira colocação no seu grupo. A principal organizada do clube, a Independente, já convocou um protesto para ninguém entrar no estádio. 

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Geral

20 são em uma lojas de fast food Burguer King  


Justiça

Acusado diz que falará primeiro com seu advogado antes de se manifestar. Ele foi penalizado com advertência.


Cidade

Esta é uma das últimas etapas para obtenção da Bandeira Azul


Cidade

Lei municipal que favorecia os consumidores foi derrubada pelo Supremo 


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade

Página 3

Após derrota em clássico, reunião deve definir saída de Dorival do São Paulo

DANILO LAVIERI E JOSÉ EDUARDO MARTINS
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Dorival Júnior deve ter um dia decisivo no São Paulo. Após a derrota para o Palmeiras por 2 a 0, na quinta-feira (8), o treinador corre o risco de perder o emprego. Assim como acontece depois de todas as partidas, uma reunião está prevista entre os integrantes do departamento de futebol e a cúpula do clube. Segundo apurou o UOL Esporte, mesmo com a classificação da equipe para as quartas de final do Campeonato Paulista, os dirigentes não estão satisfeitos com o desempenho do time e o técnico nunca esteve tão ameaçado.

Boa parte dos diretores que trabalham no Morumbi já não acredita no trabalho de Dorival, que seguia com o voto de confiança de quem está no dia a dia no CT da Barra Funda, como Raí, Ricardo Rocha e Lugano. A pressão sobre os integrantes do departamento de futebol, porém, aumentou consideravelmente para que seja feita uma mudança nos rumos.

Outro ponto que pode pesar na decisão é quem poderia assumir a equipe, mesmo que interinamente. O auxiliar Lucas Silvestre, filho de Dorival, não vai continuar no cargo caso o pai seja demitido. André Jardine, treinador da base e bem cotado no Morumbi, está em férias e ainda não tem data confirmada para o seu retorno.

Por outro lado, o clima depois de mais um revés estava pesado no Allianz Parque. Poucos jogadores quiseram conceder entrevistas -apenas Tréllez, Hudson, Rodrigo Caio e Valdívia conversaram com a imprensa. O ambiente deve contar também na avaliação dos dirigentes. Vale destacar, no entanto, que há ainda integrantes do elenco que estão ao lado do treinador e chegaram até a conversar com a diretoria para assumir a responsabilidade pelo rendimento abaixo do esperado da equipe.

Após 11 partidas no Campeonato Paulista, o São Paulo soma 14 pontos, com quatro vitórias, dois empates e cinco derrotas -com 42,4% de aproveitamento dos pontos. No domingo, no Morumbi, o time enfrenta o Red Bull e precisa de uma vitória para garantir a primeira colocação no seu grupo. A principal organizada do clube, a Independente, já convocou um protesto para ninguém entrar no estádio. 

Publicidade

Publicidade