Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Por dívidas justiça penhora quatro automóveis de Romário

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Quinta, 5/7/2018 14:53.

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - O ex-jogador de futebol, atualmente senador e pré-candidato do Podemos ao governo do estado do Rio, Romário Faria, teve quatro carros avaliados no total em torno de R$ 805 mil penhorados pela Justiça do Rio.

Em processo que corre na 4ª Vara Cível do Rio, Romário é réu em processo por dívidas do antigo Café do Gol, bar na Barra da Tijuca, zona oeste, que o jogador foi sócio no final dos anos 1990 e que faliu em 2001.

Desde 2004 Romário responde por dívidas acumuladas no período de funcionamento.

O ex-jogador chegou a responder a quase uma dezena de processos por dívidas de imposto de renda, contribuição de Cofins e Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), órgão que recolhe direitos autorais de músicas tocadas na boate.

É em um desses processos que a Justiça determinou no último dia 20 a penhora de quatro carros de luxo do senador: um Porsche Macan avaliado em 274 mil, um Peugeot Allure (R$ 57,9 mil), um Hyundai Elantra (R$ 84,2 mil) e um Audi Avant (R$ 389,4 mil).

Os valores foram levantados pela reportagem na tabela Fipe com base no despacho da juíza Erica de Paula Rodrigues da Cunha, da 4ª Vara Cível do Rio, em que detalha os carros a serem penhorados.

Segundo reportagem do jornal O Globo, ao menos dois carros foram alvo de mandados de busca e apreensão cumpridos recentemente em endereços ligados ao senador na Barra da Tijuca.

Um dos réus na ação é a irmã do ex-jogador, Zoraidi de Souza Farias, que seria a proprietária formal de um dos veículos. Há a suspeita de que Romário tenha transferido carros para o nome de familiares para evitar a penhora judicial dos bens.

A mãe de Romário, Manuela Landislau Faria, também é parte do processo, como sendo representante legal da empresa RSF Empreendimentos Eventos e Promoções. Há a suspeita que um dos veículos atribuídos ao senador esteja no nome de sua mãe.

Não é a primeira vez que Romário tem um revés judicial associado ao bar. Além dos processos por dívida, o jogador foi condenado por injúria e difamação em ação movida pelo ex-técnico da seleção Zagalo, que teve sua imagem ironizada em uma caricatura na porta de um dos banheiros da boate.

Romário chegou a ter contas penhoradas para pagar indenização de R$ 635 mil ao técnico.

A reportagem procurou a assessoria do senador para comentar a penhora dos veículos, mas ainda não obteve resposta. 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade