Jornal Página 3

McDia Feliz bate recorde de arrecadação em prol da cura do câncer infantojuvenil

A AVOS – Associação dos Voluntários da Saúde do Hospital Joana de Gusmão (Fpolis) e o Hospital Infantil Dr. Jester Amarante Faria (Joinville) irão receber juntas R$ 595.837,19 que apoiarão seus projetos no auxilio no tratamento de crianças com câncer

O McDia Feliz, a maior campanha em prol da cura do câncer infantojuvenil do país, arrecadou o valor recorde de R$ 25.352.836,25 em 2017.

A AVOS participante da 29ª edição desta mobilização, que é coordenada nacionalmente pelo Instituto Ronald McDonald, irá receber R$ 387.662,42 correspondente a participação de 22 Restaurantes. Com o valor, a instituição irá investir em melhorias na Casa de Apoio Vovó Gertrudes e o Hospital de Joinville, receberá R$ 208.174,77 com a arrecadação de 6 Restaurantes da região.

Faz parte desse valor os recursos arrecadados pela venda de tíquetes antecipados vendidos pelas instituições, além de produtos promocionais com a marca da campanha e a doação de pessoas físicas e jurídicas.

“Esse resultado é muito importante para nós, pois garante a manutenção de dezenas de projetos em prol dessa causa tão importante. No início do ano foram estimados 12.600 novos casos de câncer, que é a principal causa de mortes por doença entre crianças e adolescentes de zero a 19 anos no país. Por isso, é muito gratificante saber que, com esse valor, será possível aproximar cada vez mais famílias da cura do câncer infantojuvenil”, afirma Francisco Neves, superintendente do Instituto Ronald McDonald.

Já são 29 anos de história. A campanha que começou no Brasil arrecadando recursos para apenas uma instituição, a Ação Social de São Paulo, foi crescendo ano após ano e já arrecadou cerca de R$255 milhões destinados ao combate do câncer infantojuvenil. Os números de arrecadação multiplicaram em cinco vezes desde 2000, sendo possível beneficiar cada vez mais instituições, viabilizando a implantação de unidades de internação, ambulatórios, salas de quimioterapia, casas de apoio e unidades de transplante de medula óssea e ampliação do programa

Diagnóstico Precoce. O impacto nos números da doença é visível: há 30 anos, as chances de cura eram de 15% e hoje podem chegar a 80%, se a doença for diagnosticada precocemente e tratada de maneira adequada em centros de referência. 


Segunda, 16/10/2017 13:14.


Fale Conosco - Anuncie no Página 3 - Normas de Uso
© Desenvolvido por Página 3

Endereço: Rua 2448, 360 - Balneário Camboriú - SC | Telefone: (47) 3367-3333 | Email: jornal@pagina3.com.br