Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Dois ficam feridos em ataque a tiros a acampamento pró-Lula em Curitiba

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Domingo, 29/4/2018 8:42.

CAROLINA LINHARES
BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Duas pessoas ficaram feridas após um ataque a tiros contra o acampamento de apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em Curitiba, na madrugada deste sábado (28).

Um dos feridos é Jeferson Lima de Menezes, 38, que levou um tiro no pescoço e está internado no Hospital do Trabalhador. Os disparos acertaram também um banheiro químico, provocando estilhaços que feriram sem gravidade uma mulher no ombro. Ela foi atendida no hospital e liberada.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná, as primeiras informações são de que uma pessoa a pé efetuou os disparos. No local, foram recolhidas cápsulas de pistola 9 mm. Os militantes dizem que o ataque ocorreu por volta de 4h da madrugada.

Um inquérito foi aberto para investigar o caso. Ainda segundo a secretaria, peritos da Polícia Científica do Paraná, policiais militares e da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, estiveram no acampamento.

O acampamento pró-Lula fica a menos de 1 km da sede da Polícia Federal, onde o ex-presidente está preso desde o último dia 7.

Tendas e barracas foram instaladas em um terreno alugado pela organização no último dia 17, depois que a Justiça do Paraná determinou que os manifestantes, antes acampados em frente à PF, deixassem o local sob pena de pagarem multa diária de R$ 500 mil.

Por meio de nota, integrantes da Vigília Lula livre, que integra o acampamento em Curitiba, repudiaram o ataque e afirmaram que não serão intimidados.

"A sorte de não ter havido vítimas fatais não diminui o fato da tentativa de homicídio, motivada pelo ódio e provocação de quem não aceita que a vigília é pacífica, alcança três semanas e vai receber um Primeiro de Maio com presença massiva em Curitiba", diz o texto.

A nota lembrou ainda um ataque com barras de ferro contra militantes durante a transferência do acampamento para o novo local e pediu policiamento.

"No fundo, é uma crônica anunciada. Desde o dia quando houve a mudança de local de acampamento(17), cumprindo demanda judicial, integrantes do movimento social haviam sido atacados na região. Desde aquele momento, a coordenação da vigília já exigia policiamento e apoio de viaturas, como foi inclusive sinalizado nos acordos para mudança no local do acampamento."

O presidente do PT no Paraná, Dr. Rosinha, que integra a coordenação da vigília, cobrou que a Secretaria de Segurança Pública identifique o atirador.

Em protesto, os militantes fecharam a av. Mascarenha de Morais, no bairro Santa Cândida, mas a via foi liberada depois.

A Vigília Lula Livre concluiu a nota: "Convocamos a sociedade e as pessoas que prezam pela democracia, pelo livre direito à expressão, pela diversidade de vozes na política, que somem-se a nós na vigília. Não aceitaremos tentativas de retrocesso que já nos custaram muitas lutas e vidas." 

Câmeras de segurança mostram homem atirando contra acampamento pró-Lula em Curitiba

A Secretaria de Segurança Pública do Paraná divulgou imagens de câmeras de segurança que mostram um homem disparando contra o acampamento de apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Curitiba.

As imagens foram registradas às 3h45 da madrugada deste sábado (28). Um homem passa caminhando em direção ao acampamento. Pouco tempo depois, volta correndo e atira para trás.

Duas pessoas ficaram feridas no ataque. Jefferson Lima de Menezes, 38, foi baleado de raspão e Márcia Koakoski, 42, foi atingida por estilhaços de um banheiro público que também foi atingido. Ele segue internado no Hospital do Trabalhador.

O delegado titular da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Curitiba, Fábio Amaro, informou que o suspeito chegou em um carro preto modelo sedan e foi caminhando até o acampamento. Ele fugiu depois de atirar.

Durante a tarde, o delegado ouviu testemunhas. Um inquérito foi aberto para investigar o caso e a Polícia Militar irá reforçar o policiamento no acampamento.

Peritos da Polícia Científica do Paraná já estiveram no acampamento, onde foram recolhidas seis cápsulas de pistola 9 mm.

Em nota, a secretaria afirmou: "Todas as forças de segurança do Estado estão trabalhando de forma conjunta para identificar e prender o suspeito dos disparos".

Nesta manhã, houve uma reunião entre a secretaria e lideranças do acampamento e do PT. Segundo o presidente do partido no Paraná, Dr. Rosinha, ficou acertado que o policiamento será permanente no acampamento, que haverá segurança reforçada para o ato de 1º de Maio e que a investigação será a mais rápida possível.


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Esportes

Pista desafiadora e com visual incrível é um dos diferencias da prova


Informe Comercial

Saúde, bem estar e autoconhecimento


Policia

Outra pessoa que supostamente conhecia os fatos também foi assassinada


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade