Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Falha de comando na Guarda Municipal gera crise na segurança pública

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Arquivo Página 3.

Domingo, 29/4/2018 16:43.

Nas útimas duas noites Balneário Camboriú viveu problemas de segurança pública e a Guarda Municipal não estava presente para atender a população.

Na madrugada de sábado foi uma briga próximo ao Atlântico Shopping e no domingo uma briga e agressões a um homem que teria tentado roubar alguém.

O Página 3 confirmou que os GMs não estavam atuando no policiamento ostensivo/repressivo.

Um GM disse ao Página 3, com o compromisso de não ter o nome revelado, que um promotor de justiça teria dito, durante palestra de treinamento, que os guardas poderiam ser pessoalmente responsabilizados se continuassem atuando no policiamento ostensivo/repressivo.

Isso teria levado os guardas a evitar esse trabalho, mas a tese é estranha porque os episódios de violência ocorreram próximos a praças, áreas em que o Ministério Público não se opõe à atuação da polícia municipal.

Há alguns dias a promotora Daianny Cristine Silva Azevedo Pereira, da 8ª Promotoria de Justiça de Balneário Camboriú, recomendou ao prefeito Fabrício Oliveira que em 30 dias a Guarda Municipal deixe de atuar diretamente contra a criminalidade, mas praças não estão incluídas nessa recomendação

De imediato o prefeito Fabrício Oliveira dissse que a recomendação não seria seguida e que os guardas continuam trabalhando normalmente. 

Os episódios das últimas horas podem ser um movimento deliberado para mostrar que a cidade fica menos segura sem a Guarda Municipal.

Em bate-boca numa rede social o secretário de segurança Gabriel Castanheira escreveu que “se a GM não estava na rua foi por conta de orientação do MP (Ministério Público) e não por culpa do prefeito”.

Significa que o secretário sabia que a Guarda não estava cumprindo a determinação do prefeito de prosseguir normalmente com o trabalho e não tomou providências contra o fato.

Também é claro que os supervisores da Guarda sabiam dos fatos já que o pessoal sob seu comando é permanentemente monitorado por rádio e em campo.

O prefeito emitiu nota (leia abaixo) e disse ao Página 3 que avaliará os fatos para tomar providências cabíveis.

Nota oficial – Guarda Municipal continua nas ruas

Sobre os casos de violência ocorridos no sábado, 28, a Administração Municipal esclarece que em nenhum momento tomou a decisão de suspender o atendimento a ocorrências e chamadas efetuadas para a Guarda Municipal pelo serviço 153 e reafirma seu compromisso com a comunidade em manter os agentes de segurança nas ruas.

Por outro lado, irá apurar os motivos que levaram a guarda municipal a não atender os reclames da população na data acima citada.

Finaliza, informando que o trabalho dos agentes já retornou a normalidade, com o efetivo completo e disposto a atuar em prol do cidadão, tanto no patrulhamento das ruas, quanto no atendimento do 153.

Fabrício Oliveira
Prefeito Balneário Camboriú
 

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade