Jornal Página 3

Publicidade

Publicidade

Usaram carro da prefeitura de Balneário para buscar gasolina para particular

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Divulgação PM.

Sábado, 26/5/2018 8:19.

A PM de Itajaí abordou ontem (25) à tarde Thomaz Gil Simas e Cleberson Francisco Schneider, ambos funcionários da prefeitura de Balneário Camboriú, enquanto estavam no vizinho município usando um veículo da prefeitura de Balneário Camboriú buscando gasolina para um veículo particular.

Thomaz é diretor de Guarda Patrimonial e Cleberson coordenador dessa mesma guarda, ambos nomeados em cargos de confiança.

O que despertou a atenção dos PMs foi um volume na cintura de Thomaz que ao ser abordado no posto de gasolina entregou aos policiais uma pistola calibre .380 da qual não possuía porte.

Ambos contaram aos PMs que foram a Itajaí buscar combustível para o carro particular de Thomaz que foi preso e conduzido à delegacia por portar ilegalmente a arma.

A PM apreendeu, além da pistola, um carregador com 10 munições sem numeração de lote e 664 munições deflagras encontradas na mala do veículo da prefeitura.

Fontes do gabinete do prefeito Fabrício Oliveira informaram que os servidores serão sumariamente demitidos. 

Hoje pela manhã Thomaz distribuiu a seguinte nota:

"Fomos surpreendidos com a publicação mentirosa em redes sociais e aplicativos de mensagens, dando conta que o Diretor da Guarda Patrimonial da Prefeitura Municipal de Balneário Camboriú, Sr. Thomaz Gil Simas, teria sido preso por porte ilegal de arma e outras inverdades.

A mais rasa leitura do boletim de ocorrência levado a termo comprova que o servidor nada cometeu de ilegal ou criminoso. O fato é que alguns Policiais Militares,  conduziram o servidor até a Delegacia CPP (central de plantão Policial), sob a falsa acusação de porte ilegal de arma. Lá chegando, foram concluídos os trâmites legais e imediatamente liberado com sua arma, carregadores e munições.

Sem ter fatos reais a investigar, a autoridade policial encerrou a acusação e liberou o Diretor Thomaz, por estar em conformidade com a lei.

A atitude abusiva de algumas pessoas, bem como o pronto vazamento de informações mentirosas para a imprensa, dão conta de um procedimento que não ocorreu, por aqueles servidores publicos

Tentando desta forma destruir a reputação do Diretor da Guarda Patrimonial de Balneário Camboriú, Sr. Thomaz Gil Simas. Usam métodos abusivos, com cerceamento dos direitos mais básicos para obter, forçadamente, testemunhos que possam ser usados em peças de acusação.

O atropelo dos fatos e da verdade busca retirar o servidor da vida pública e de suas obrigações, impedi-lo de continuar a prestar relevantes serviços ao município, ao Estado e ao País. Vê-se crimes em atos de absoluto respeito às leis e total obediência aos princípios democráticos e de direito."


 


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Policia

Conheça o passo a passo das investigações da DIC e GAECO


Cidade

Hoje faz cinco anos desde o primeiro ato público em Balneário Camboriú


Cidade

Morto no sábado ele foi uma lenda no futebol catarinense  


Cidade

Jornal Página 3 prepara material especial para a data


Publicidade


Publicidade


Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade



Publicidade